O novo programa de pós-graduação strictu sensu da UFMT será o único da área em funcionamento em Mato Grosso.

UFMT lança Mestrado em Comunicação em 2020

Assessoria

O Departamento de Comunicação da Faculdade de Comunicação e Artes (FCA) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) lançará, em 2020, o edital de seleção da primeira turma do Mestrado em Comunicação, que acaba de ser aprovado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). O novo programa de pós-graduação strictu sensu da UFMT será o único da área em funcionamento em Mato Grosso. A aprovação acontece em meio às comemorações dos 30 anos do curso de Comunicação na UFMT.

Com o objetivo de pensar as interfaces entre a comunicação e o poder nas sociedades contemporâneas, em particular no contexto regional, o Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM) possui duas linhas de pesquisa: “Política e Cidadania” e “Estéticas e Narrativas”. A partir de uma perspectiva cidadã, as linhas pretendem desenvolver discussões que ultrapassem a concepção partidária de poder, articulando a comunicação aos diversos processos socioculturais e simbólicos dos tempos atuais.

UFMT
Foto: UFMT

Segundo a Pró-Reitora de Pós-Graduação, professora Ozerina de Oliveira, a aprovação do Mestrado em Comunicação representa um importante passo para a consolidação da pesquisa não só no curso de Comunicação, mas também em toda a UFMT. A Pós-Graduação em uma instituição só é considerada consolidada quando são oferecidos programas em todas as áreas de conhecimento dessa instituição. “A aprovação deste programa consolida a área de Comunicação dentro da instituição. Além disso, é um passo a mais para a consolidação da Pós-Graduação na UFMT. Isso é importante para a instituição porque fortalece muito a Pós-graduação”, afirma.

Entre os seus objetivos estratégicos, o curso pretende contribuir para o desenvolvimento científico do campo da comunicação em Mato Grosso e a qualificação de pesquisadores nesta região do país. O professor Cristóvão Almeida, chefe de departamento do curso de Comunicação, destaca que o PPGCOM surge como oportunidade para qualificar os profissionais e fortalecer os laços entre pesquisadores. “Todos ganham com esse novo espaço: a UFMT com acesso e permanência de novos pesquisadores e a sociedade com profissionais qualificados”, analisa.

Com a abertura do Mestrado em Comunicação, a UFMT se junta às outras instituições federais de ensino da região Centro-Oeste que já possuem mestrados na área. A professora Ozerina destaca, ainda, que a Capes não vive um “momento de expansão” e tende a ser ainda mais rigorosa quanto a avaliação de novos programas. “O mote, agora, não é expandir. Neste momento a Capes tem sido o mais rigorosa possível na avaliação desses novos programas. A aprovação desse programa, neste momento, é mais uma prova da qualidade do corpo docente e das pesquisas desenvolvidas”, conclui a professora.

O corpo de docentes permanentes será composto pelos professores Dr. Bruno Araújo, Dra. Tamires Coêlho, Dr. Cristóvão Almeida, Dr. Luãn Vaz Chagas, Dr. Vinicius Guedes, Dra. Pâmela Craveiro, Dra. Andrea Ferraz, Dra. Letícia Capanema e Dra. Jociene Pedrini. Além de contar com os professores colaboradores Dr. Pedro Pinto de Oliveira, um dos fundadores do curso de Comunicação da UFMT e Liziane Guazina, da Universidade de Brasília (UNB).

Leia também

Deixe seu comentário!