PM que atirou na cabeça de mulher já foi denunciado por extorquir R$ 45 mil de empresário

A Promotoria de Justiça afirma que à época o militar Weberth Batista Ribeiro chegou a ser preso, mas posteriormente colocado em liberdade.

em 24/01/2020

Redação Repórter MT

O policial militar Weberth Batista Ribeiro, um dos acusados de atirar em Elizangela Moraes, de 44 anos, na noite do último dia 17, no município de Sorriso (400 km de Cuiabá), já responde à denúncia criminal oferecida pelo Ministério Público Estadual (MPE), em novembro do ano passado, pela prática de extorsão.

Na ocasião, a Promotoria de Justiça representou pela prisão temporária do acusado e depois pela conversão em preventiva. Ele chegou a ser preso, mas posteriormente foi colocado em liberdade.

Consta na denúncia que o policial realizou campanas nas proximidades da casa e estabelecimento comercial de um empresário também da cidade de Sorriso para intimidá-lo a efetuar o pagamento de R$ 45 mil. Ele chegou a invadir o estabelecimento comercial da vítima, desferiu um soco em uma câmera de segurança e na sequência passou a pressioná-la fazendo ameaças com expressões provocativas e sugerindo estar armado. Toda a ação foi gravada pelo circuito interno.

Além dele, foram denunciadas outras duas pessoas, incluindo o gerente de uma rede de supermercados do município.

Inquérito: No âmbito cível, o Ministério Público instaurou duas portarias para investigar a prática de atos de improbidade administrativa contra o policial militar. A primeira refere-se aos fatos relacionados à extorsão de comerciante para cobrança de dívida, a segunda sobre as agressões físicas e tentativa de homicídio. Nesse último caso, além dele, também está sendo investigado o policial Ezio Souza Dias.

A tentativa de homicídio ocorrida em Sorriso foi registrada por uma câmera de vídeo, cujas imagens viralizaram em todo o país. As cenas mostram a abordagem, o crime e o socorro às vítimas.



Tags

Deixe seu comentário!


Mais Notícias