Em uma das casas, polícia encontrou droga e fez o flagrante no local.

Operação prende 14 membros do Comando Vermelho e apreende R$ 5,5 mil

Por Yuri Ramires

Em balanço parcial divulgado na manhã desta quarta-feira (18), Polícia Civil informou que 14 pessoas foram presas durante o cumprimento dos mandados da Operação Rouge, que tem como objetivo reprimir crimes praticados pelo Comando Vermelho em Rondonópolis (212 km ao Seul de Cuiabá). Em uma das casas, polícia encontrou droga e fez o flagrante no local.

Conforme as informações repassadas à reportagem do , além dos 14 presos por mandados judiciais, uma quantia de R$ 5.500 foi apreendida e um carro que estava em posse da quadrilha. Ao todo, 55 policiais saíram às ruas para cumprir os 33 mandados, sendo 15 de prisão e 18 de busca e apreensão.

Polícia Civil
Reprodução - Foto: Polícia Civil

Em uma das casas alvo da operação, no Centro da cidade, polícia deu voz de prisão para um suspeito de 28 anos. A investigação apontou que a casa dele era um dos pontos de venda de droga com intensa movimentação de usuários em vários horários. Em buscas no local, os investigadores encontraram dinheiro e cocaína dentro de uma sacola.

Em um armário, mais porções de pasta base, maconha e giletes também estavam escondidos. Caderno com anotação do tráfico, máquinas de cartões estavam pela casa. A operação ainda está em andamento.

 

Tráfico e ‘Salve’

Conforme a investigação da Polícia Civil, que iniciou em 2019, a facção vinha atuando na cidade com ‘autorização’ dos líderes do comando, presos nas unidades de Mato Grosso, entre elas, a Mata Grande.  

Controle do tráfico de drogas na cidade era uma das atividades do bando, que realizou o tabelamento dos preços da maconha e da cocaína. Tinham ainda o controle das bocas de fumo, já mapeadas pelos investigadores.  

Dentro da hierarquia, havia os líderes, os gerentes e os disciplinas. Esses últimos são responsáveis em punir outros faccionados ou ‘inimigos’ da organização, aplicando ‘salves’.  

A disciplina ocorre quando pessoas de dentro da facção ou da região em que ela ‘comanda’, violam as regras. Essas pessoas são agredidas, torturadas e, em muitos casos, até mortas.    

 

Leia também

Deixe seu comentário!