Governador confirmou que não haverá, por ora, desincompatibilização de seus secretários

Mendes projeta 1º turno da eleição para 15 de novembro

Por Camila Ribeiro

O governador Mauro Mendes (DEM) disse acreditar que a eleição municipal deste ano deverá ser adiada para 15 de novembro, em razão da pandemia da Covid-19 (novo coronavírus).

De fato, existem discussões no Congresso Nacional e no próprio Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em que são analisadas além da data “prevista” por Mendes, o dia 6 de dezembro para a realização do pleito. Tudo dependerá das condições técnicas de saúde no Brasil.

A princípio, o calendário eleitoral estipula que os eleitores deverão ir às urnas no dia 4 de outubro.

“A gente aposta e tem quase certeza que a eleição será adiada. Não tem cenário para isso. Pelo calendário atual, em julho iria começar as convenções, as reuniões. Como fazer isso sem poder fazer o encontro de pessoas? E, dificilmente, a pandemia estará em um estágio muito diferente do que está hoje daqui a um mês”, disse Mendes.

“Não vejo cenário para eleição em outubro. Acho que provavelmente será adiado para 15 de novembro o primeiro turno. E, aí, o segundo turno - nas Capitais que houver - deve ocorrer lá pelo início de dezembro”, acrescentou.

As declarações foram dadas na manhã desta quarta-feira (3), em entrevista à Rádio Centro América FM.

Na ocasião, Mendes confirmou que, apostando nesse cenário de adiamento, não fará a desincompatibilização, ao menos por ora, de nenhum dos secretários que ocupam cargos no Governo com vistas às eleições para Prefeitura de Cuiabá.

Pela legislação eleitoral atual, àqueles que ocupam funções de secrertário de Estado e que têm interesse em concorrer nas eleições de outubro devem deixar seus cargos até esta quinta-feira (4).

“Já decidimos que neste momento a prioridade é cuidar da saúde pública. Existem, sim, dentro do Governo algumas pessoas que tem capacidade, potencial, histórico e poderiam se apresentar no processo eleitoral para qualquer cargo. Entretanto, decidimos que nesse momento ninguém irá se afastar”, afirmou.

No staff de Mendes, são cotados para a disputa ao Palácio Alencastro os secretários Gilberto Figueiredo (Saúde), Mauro Carvalho (Casa Civil), Rogério Gallo (Fazenda), Marcelo de Oliveira (Infraestrutura) – todos filiados ao Democratas.

Leia também

Deixe seu comentário!