Ela recebeu 26 votos, pois foi a única que demonstrou interesse na vaga.

Maria Helena é eleita presidente do Tribunal de Justiça

Por Vitória Lopes

A desembargadora Maria Helena Póvoas foi eleita presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) para o biênio 2021-2022 da corte estadual, nesta tarde de quinta-feira (26), com 15 votos pelos 29 desembargadores.


Ainda durante a sessão administrativa, a desembargadora Maria Aparecida Ribeiro foi homologada para o cargo de vice-presidente. Ela recebeu 26 votos, pois foi a única que demonstrou interesse na vaga. Dois desembargadores votaram em branco e nulo, respectivamente.

Otmar de Oliveira/TJMT
Reprodução

Para o cargo de corregedor-geral da Justiça, o Pleno decidiu pelo desembargador José Zuquim, que obteve 18 votos. Pedro Sakamota também disputava o pleito, mas teve 10 votos. Apenas um desembargador votou nulo.

Maria Helena será a segunda mulher a ocupar a presidência do TJ. A primeira foi a desembargadora aposentada Shelma Lombardi de Kato, no biênio 1991/1993.
Maria Helena começará a disputa com vantagem sobre os demais candidatos, já que deverá ter 100% dos votos das 8 desembargadoras.
A posse acontecerá no dia 18 de dezembro e a entrada para os cargos no dia 1º de janeiro de 2021. 

A desembargadora

A desembargadora Maria Helena Gargaglione Póvoas é natural de Cuiabá, formada pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e pós-graduada em Direito Processual Civil pela Universidade de Cuiabá (Unic). Inscrita na Ordem dos Advogados do Brasil – seccional Mato Grosso (OAB/MT) desde 25 de maio de 1983, Maria Helena foi a primeira e única mulher – até o momento – a presidir a Instituição. Ela esteve à frente da presidência da OAB-MT por dois mandatos consecutivos, entre 1993 e 1997.

Militou como advogada em Mato Grosso de 1983 a 2005, quando ingressou na magistratura pela vaga do quinto constitucional da OAB. No TJMT, atuou como presidente da 2ª Câmara Cível, presidente da 1ª Turma de Câmaras Cíveis Reunidas e coordenadora de Supervisão dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais de Mato Grosso.

Na Justiça Eleitoral, a desembargadora também teve papel de destaque ao ocupar todos os cargos de direção do TRE-MT. Ela foi vice-presidente e corregedora no biênio 2013/2015 e presidente entre 2015 e 2017.

Além da advocacia e da magistratura, Maria Helena também tem atuação no magistério, como professora licenciada da Unic, onde leciona Direito Civil, Processo Civil e Prática Forense.

Leia também

Deixe seu comentário!