‘Saúde da baixada cuiabana já colapsou’, declara Gilberto Figueiredo

O secretário de Saúde disse que já não tem leitos disponíveis na rede estadual e critica Emanuel sobre 'deixar tudo aberto'

O secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo, afirmou na tarde desta quinta-feira (04.03) que a saúde de Mato Grosso já está em colapso em função do esgotamento dos leitos de Unidade Terapia Intensiva (UTI) na saúde estadual. Gilberto disse que na baixada cuiabana, especificamente em Cuiabá e Várzea Grande, já não tem leitos de UTI disponíveis para a população com a covid-19.

“Nós já estamos no caos de leitos de UTI, aqui na baixada cuiabana já colapsou, enfim. Aquilo que nós adiantamos, infelizmente, já aconteceu. Estamos fazendo um esforço para abrir mais leitos de UTI mas temos uma limitação. Não há mais leitos na Santa Casa e os do Metropolitano estão exaurindo”, declara.

No boletim epidemiológico da SES desta quinta-feira (04.03), a taxa de ocupação de leitos de UTI já está em 96% para adulto e leitos de enfermaria já estão em 46% para enfermarias adulto. Até a tarde desta quinta-feira (04.03), a SES notificou 258.460 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 5.941 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Gilberto criticou a gestão do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), sobre durante situação crítica da saúde em todo o mundo, querer deixar os estabelecimentos todos abertos. O secretário disse ainda que atualmente o Pronto Socorro de Cuiabá está com cerca de 50 leitos de enfermaria bloqueados.

“O duro é acreditar que mesmo Cuiabá estando colapsada, mesmo a maioria dos pacientes da capital estarem utilizando leitos da Santa Casa e do Metropolitano, o prefeito da capital acha que tem que continuar tudo aberto. Não abriu nenhum leito de UTI novo e agora praticamente está com menos do que no inicío da pandemia, é um absurdo”, declara.

Uma menina de três anos moradora de Cuiabá foi uma das 37 vítimas que morreu em decorrência da covid-19 nas últimas 24 horas em todo o Estado. De acordo com o último boletim divulgado pela secretaria de Saúde do Estado, 2.748 pessoas foram notificadas com a doença de ontem para hoje. Os casos confirmados já ultrapassaram aos 258 mil.

Leia também

Deixe seu comentário!