O candidato Abílio Jr, quando questionado sobre suas políticas públicas para as mulheres, disse que Gisela era uma ótima candidata 'mesmo sendo mulher'.

Gisela diz que espectadores viram machismo ‘com os próprios olhos’ durante o debate

Por Isabela Mercuri e Max Aguiar

Após sair do primeiro debate realizado entre sete dos oito candidatos a prefeito de Cuiabá, pela TV Vila Real, a ex-superintendente do Procon Gisela Simona afirmou que os espectadores viram o machismo “com os próprios olhos” nas atitudes de Abílio Junior (PODE). O candidato afirmou, quando questionado sobre suas políticas públicas para as mulheres, que Gisela era uma ótima candidata “mesmo sendo mulher”. Algum tempo depois, pediu que ela abaixasse o tom de voz, e disse que ela estava muito nervosa.

Gisela diz que espectadores viram machismo ‘com os próprios olhos’ durante o debate
João Vieira / Gazeta Digital

“Na verdade, quem usa essa fala [quando falou do volume da voz dela] é porque não reconhece a situação que a mulher sofre hoje dentro de Cuiabá, dentro de Mato Grosso, no Brasil, isto é realidade, nós vimos com nossos próprios olhos, escutamos o que aconteceu, não sou eu quem está dizendo, então que a sociedade avalie e julgue se isso é correto ou não, o que aconteceu”, disse a candidata.

Gisela chegou a pedir um direito de resposta, que não foi concedido. Outro candidato, Julier Sebastião (PT), entrou em sua defesa afirmando que Abílio foi misógino. O vereador também pediu direito de resposta, mas não conseguiu. “São ofensas que foram feitas, mas eu creio que a própria sociedade vai julgar, a própria sociedade vai avaliar se isso é um ato correto ou não. Eu entendo que está errado, pedi meu direito de resposta e não concordo com atos neste sentido, a mulher sofre este tipo de violência dentro de casa, no local de trabalho, e é por isso que nós temos uma política de valorização da mulher, nós precisamos, exatamente, acabar com estas diferenças, com esta subestimação do que a mulher é capaz de fazer”, afirmou Gisela.

Após o debate, Abílio disse que o debate virou uma ‘confusão’ por sua fala. “Foi um aprendizado, é pouco tempo para falar e as vezes você fala algo correndo e às vezes você não tem tempo para expressar suas propostas. Eu cometi um erro falando com a Gisela, falando mesmo sendo mulher, mas queria ter dito independente de ser mulher. Por causa deste erro na hora de me expressar, o debate acabou virando uma confusão e se perdeu no meio a essa discussão”, afirmou.

Ele ainda disse que não iria pedir desculpas à candidata, mas à toda a população. “Foi muito rápido as palavras e naquele momento acabei me expressando mal. Quero deixar claro que é independente de ser mulher, não é mesmo sendo mulher. A mulher tem que ocupar espaço assim como o homem, com sua qualificação técnica e por mérito. Não porque é homem, ou mulher”. O vereador também comentou a falta do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), afirmando que ele já esteve em reuniões políticas com mais aglomeração do que no debate.

Outros candidatos

Outros três candidatos comentaram o debate na saída da TV. Roberto França (PATRI) considerou-o “excelente” e afirmou que ninguém deixou que “caísse o nível”. “Os candidatos todos apresentaram proposta, não houve baixaria e o mais importante é que a população teve a chance de acompanhar as propostas de cada candidato”, disse.

Aécio Rodrigues (PSL) também criticou a falta de Emanuel Pinheiro, dizendo que ele “tem medo” de debater. Falou também sobre o fato de França ter citado apoio de Bolsonaro. “O presidente já se posicionou que não apoia nenhum candidato, então a gente quer saber se ele realmente defende o presidente Bolsonaro, se colocou este apoio superficial para enganar a população, sendo que o presidente já falou em entrevista que ‘candidatos a prefeito que falarem que tem meu apoio, tirem este candidato da frente’. Já o Mourão está na nossa campanha, ele sabe que a gente quer fazer uma política nova e é uma política diferente”, disse.

Candidato do Partido Novo, Paulo Grando afirmou que o debate foi bom para pontuar as diferenças políticas e ideológicas de cada candidato, e afirmou que a conversa continuará nas redes sociais. Disse que discorda da gestão atual, mas que o que deve ser debatido são as propostas. “Eu, por exemplo, sou um grande crítico da abordagem da pandemia. Meu primeiro post foi dia 25 de março, quando as coisas estavam começando, o primeiro decreto tinha saído dia 23, então sou um grande crítico disso. Pena que o prefeito não veio, porque eu queria questioná-lo a respeito disso. Porque ele precisa dar essa satisfação a população de porque ele adotou determinadas medidas”, afirmou.

Leia também

Deixe seu comentário!