O delegado acredita que trio se entregou em razão do estágio avançado da investigação.

Autores ficam em silêncio na Polícia; motivo ainda é um mistério

Por Vitor Hugo Batista

Os três homens presos pelo assassinato do jornalista Ediney Menezes, de 44 anos, em Peixoto de Azevedo (a 691 km de Cuiabá), preferiram se manter em silêncio durante oitiva na Delegacia da cidade.

Ediney foi assassinado no dia 15 de novembro, horas após a eleição municipal.


Reprodução

Segundo relatou o delegado Edmundo Félix de Barros Filho, os três homens não se manifestaram durante o interrogatório e não revelaram nenhuma informação sobre o crime. Eles também se omitiram sobre as razões de terem se entregado à Justiça.

A motivação do crime continua sendo um mistério. A Polícia não descarta desentendimento político e assassinato por aluguel.

O delegado acredita que os acusados se entregaram em razão do avançado estágio das investigações e provas coletadas, que incluem imagens de videomonitoramento de diversos estabelecimentos do Município. “As provas mostram, sem dúvidas, que são eles os envolvidos. Seria questão de tempo para achá-los”, disse. 

Todos possuem passagem pela polícia por tráfico de drogas, porte de armas e associação criminosa. 

A arma do crime ainda não foi encontrada. A motocicleta e as vestimentas utilizadas no dia do assassinato foram apreendidas. 

A prisão temporária dos acusados foi decretada pelo Judiciário por um prazo de 30 dias. Até lá, eles permanecerão presos enquanto o inquérito policial está em andamento.

Quando concluídas, as investigações passam para o âmbito do Ministério Público Estadual, que poderá denunciar o trio na Justiça por homicídio.

A mãe de um dos acusados se manifestou sobre a prisão do filho. Ela ficou surpresa quando os policiais entraram pela porta de casa e deram voz de prisão a ele. "Se eu já soubesse do caso, eu mesma teria vindo entregar ele. Ele já foi preso três vezes, já tava na hora de ser preso de novo", disse.

Relembre o caso

Ediney Menezes foi assassinado a tiros na noite de 15 de novembro, horas após o fim da eleição.

O corpo da vítima foi encontrado dentro de seu carro, um HB20 preto, com o motor ainda ligado, por volta das 22h.

Imagens das câmeras de monitoramento da cidade mostram que o crime foi cometido por dois homens em uma moto.

O jornalista foi atingido com disparos na cabeça e morreu ainda no local.

Um homem de 23 anos foi preso no dia 26 de novembro suspeito de envolvimento no assassinato do jornalista.

Depois da prisão, outros dois se entregaram e confessaram o crime. 

Leia também

Deixe seu comentário!