FG ASSESSORIA

300 cavaleiros protestam para manter competições com animais

Por volta das 8h, eles saíram do haras Twin Brothers, no bairro Santa Rosa, e andaram 10 km até a Assembleia Legislativa.

em 18/06/2019

Embaixo do sol típico de Cuiabá, cerca de 300 cavaleiros desfilaram pelas ruas da cidade na manhã desta terça-feira (18), para manifestar contra uma decisão da Justiça que apontou maus-tratos contra os animais. Por volta das 8h, eles saíram do haras Twin Brothers, no bairro Santa Rosa, e andaram 10 km até a Assembleia Legislativa, no Centro Político Administrativo.

Seguindo uma denúncia do Ministério Público Estadual (MPE), o juiz Rodrigo Roberto Curvo proibiu a realização da prova do laço, que estava marcada durante a 7ª Semana do Cavalo, entre os dias 25 de maio de 1 de junho. Conforme Cae Póvoas, um dos proprietários do haras, a medida gerou um prejuízo de R$ 400 mil ao estabelecimento.

"Nosso segmento vem sofrendo várias ações do Ministério Público junto com as ONGs que vêm causando prejuízos imensuráveis tanto financeiros quanto emocionais para todo o segmento. Nós cansamos disso, queremos trabalhar. Não somos bandidos, não somos ladrões, só queremos lutar pelo nosso direito de trabalhar", afirmou o empresário.

Conforme a denúncia, as provas podem ser caracterizadas como maus-tratos pois geram sofrimento físico e psíquico aos equinos, bovinos e caprinos. MPE ainda citou decisões proferidas nacionalmente no mesmo sentido. O empresário, contudo, nega que os animais sejam desrespeitados.

"O que eles fizeram com a gente na semana passada foi uma situação inaceitável. Mediante isso a única solução que a gente viu foi vir buscar apoio para regulamentar o nosso esporte", afirmou. 

Prejuízo com a proibição, de acordo com o empresário, foi devido à decisão ter sido proferida na véspera da prova. Ele explicou que vários participantes vindo de diversos estados do país já tinham vindo para o evento.

Por: Gazeta Digital



Tags

Deixe seu comentário!


Mais Notícias