Capital Notícia
vacina 100% brasileira contra a covid

Brasil pode fabricar 400 milhões de vacinas contra covid em 90 dias

vacina 100% brasileira contra a covid

O senador Wellington Fagundes (PL) participou, nesta quinta-feira (13.04), da aplicação da primeira dose da fase 1 da vacina 100% brasileira contra a covid-19. Segundo o parlamentar, assim que for concluída a fase de testes do imunizante o Brasil terá capacidade de fabricar 400 milhões de doses em até 90 dias.

“Vai gerar economia, vai representar riqueza para o Brasil e geração de emprego também que é muito importante. A partir do momento que tivermos a fabricação o Brasil estará em condições como qualquer país do mundo que hoje produz vacina, que hoje são pouquíssimos, EUA, China e Índia. O Brasil seria o quarto país no mundo e com essa vacina que é uma tecnologia mais avançada do mundo”, garantiu o senador, durante entrevista ao Jornal da Capital 1ª edição, desta sexta-feira (14.01).

Confira o Jornal da Capital 1ª edição desta sexta

Fagundes esclareceu ainda que a vacina já será fabricada com eficácia para as novas variantes do coronavírus e com aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “É o imunizante mais moderno do mundo. A vacina já nasce com todas as variantes, inclusive com a nova variante ômicron”.

O imunizante aplicado em grupo de brasileiros é o RNA MCTI Cimatec HDT. Ele é baseado na tecnologia de RNA replicon autoamplificante, capaz de codificar a proteína spike do coronavírus causador da Covid-19.

Nesta etapa, serão avaliadas a segurança, reatogenicidade e imunogenicidade da vacina contra o coronavírus. O Imunizante é feito por cientistas brasileiros em parceria com cientistas americanos.

No começo da semana, a Fundação Oswaldo Cruz anunciou que deverá entregar já em fevereiro, para o Ministério da Saúde, as primeiras doses da vacina contra a covid-19 totalmente fabricadas com o Insumo Farmacêutico Ativo, IFA nacional, produzido por Bio-Manguinhos, o Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos.

Além disso, está em vigor também a Lei 14.187/21, de autoria do senador do PL, que autoriza fábricas que já produzem vacinas de uso veterinário a produzir imunizantes ou insumos farmacêuticos ativos (IFA) contra a Covid-19.