'Nós não somos os vilões da pandemia, restaurante não é balada’, afirma vice-presidente da Abrasel

Fernando relembrou sobre a situação das empresas na capital e disse que muitas estão à beira da falência

O vice-presidente da Associação de Bares e Restaurantes seccional de Mato Grosso (Abrasel), Fernando Medeiros, disse em entrevista ao Jornal da Capital, da rádio Capital FM, na manhã desta quinta-feira (04.03) que os restaurantes estão sendo penalizados como se fossem baladas que reúnem centenas de pessoas.

A fala de Fernando foi feita em razão do decreto estadual que restringe horários de funcionamento das atividades na capital e em todo o estado até dia 21 de março. O decreto foi publicado com o objetivo de conter a pandemia de covid-19 em Mato Grosso. Na avaliação do vice-presidente a classe de bares e restaurantes não podem ser classificados como os vilões da pandemia.

“Restaurante não é balada, a gente cumpre o protocolo, só entra com máscara, tem álcool disponível, ele só retira a máscara sentado para se alimentar. Nós denunciamos locais que estão descumprindo, é nosso papel como entidade. Nós não estamos do lado da covid-19, perdemos um diretor da Abrasel o Edgare dono de um bar tradicional da cidade. Então, nós não somos os vilões da pandemia”, declara.

O vice-presidente da associação chamou atenção para a falta de auxílio financeiro do Poder Público para manter o caixa das empresas de forma saudável. Fernando usou exemplo da sua empresa e disse que já teve que demitir 80 funcionários, conseguiu recontratar 40 deles, e neste momento está à beira da falência.

“Nós estamos falando por 26 mil empresas, mais de 70 mil empregos diretos e mais de 150 mil empregos diretos. Um setor que gera mais de R$ 5,5 bilhões para a economia do estado de Mato Grosso. Entao não é qualquer setor. 80% dessas empresas são familiares, então são aqueles espetinhos e baguncinhas que estão nos bairros trabalhando com os protocolos e o decreto estadual generaliza como se nós fossemos os vilões e nós não somos”, disse.

O vice-presidente relembrou as promessas de campanha feita pelo prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), sobre o auxilio que seria fornecido aos empreendedores locais. Fernando reforçou que não querem entrar em brigas políticas mas que a preocupação é com vidas que estão sendo perdidas não só para a covid-19.

“Nós procuramos e estamos cobrando dele o financiamento a juro zero para os empreendedores locais. Nós estamos sofrendo calados. A prefeitura tem nos ouvido e com isso conseguiu flexibilizar pontos no decreto. A gente tentou o mesmo com o Governo do Estado mas queremos que o bom senso impere. É preciso não entrar em briga política, porque não interessa a ninguém. É preciso existir convergência porque vidas estão em jogo, não só com a covid-19, mas com o desemprego, com a depressão”,

Fernando finalizou perguntando sobre a existência de denúncias de aglomerações em restaurantes na capital. ‘No 18 de março em 2020, a Abrael foi a primeira entidade a procurar a prefeitura com todos os protocolos da OMS para seguir nos restaurantes. Se você pedir uma lista para a ordem pública com os locais das principais autuações, pergunta quantos restaurantes criaram aglomerações durante a pandemia?’, chamou a atenção.

Leia também

Deixe seu comentário!